Campus

Fapesp cria base de dados para pesquisas relacionadas à Covid-19
O repositório é uma iniciativa que tem origem vinculada à Rede de Repositórios de Dados Científicos do Estado de São Paulo, desenvolvida por instituições de ensino e pesquisa no estado, incluindo a Unicamp.
Por Liana Coll - 20/06/2020

Cortesia
Covid-19 Data Sharing/BR impulsiona compartilhamento de dados relacionados à doença

A Fundação de Apoio à Pesquisa no Estado de São Paulo (Fapesp) criou uma base de dados, a Covid-19 Data Sharing/BR, com o objetivo de disponibilizar de forma rápida informações para pesquisas relacionadas à doença causada pelo novo coronavírus. O repositório é uma iniciativa que tem origem vinculada à Rede de Repositórios de Dados Científicos do Estado de São Paulo, desenvolvida por instituições de ensino e pesquisa no estado, incluindo a Unicamp.

O lançamento da Data Sharing/BR ocorreu no dia 17 de junho, mas conta com um cronograma de três etapas. Desde essa data, quando foi disponibilizado um pequeno conjunto de dados, a comunidade científica pode baixar os dados e realizar análises. Até o dia 24 de junho, comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail covid19datasharing@fapesp.br. As avaliações serão consideradas pela organização do repositório para possíveis melhorias dos dados e da documentação da plataforma. A partir do dia 1º de julho, o conjunto inicial completo de dados será publicado. 

Os dados do repositório são automaticamente disponibilizados em: https://metabuscador.uspdigital.usp.br/. 

Para o pró-reitor de Pesquisa da Unicamp, professor Munir Skaff, o compartilhamento de dados é extremamente relevante para o avanço rápido de pesquisas. “O conhecimento gerado, se ele está disponibilizado para outros grupos, traz um ganho enorme para todos, pois há um efeito cooperativo. Além dos seus dados, você também tem acesso a dados de outras pessoas e isso fortalece a construção de uma ciência melhor, que é tudo o que precisamos em uma época de crise como a que estamos vivendo agora”, observa.

A Unicamp tem o seu próprio repositório de dados, chamado Repositório de Dados da Unicamp (Redu). O professor do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (IMECC) Benilton de Sá Carvalho, um dos responsáveis pela formulação do Redu, lembra que todos esses dados são encontrados através metabuscador, que é o mesmo utilizado pelo repositório da Fapesp. Assim, caso um pesquisador busque dados referentes ao novo coronavírus na base Covid-19 Data Sharing/BR, os dados das instituições que fazem parte dessa rede, como a Unicamp, serão encontrados, já que o metabuscador se conecta a todas as instituições que integram o Repositório de Dados Científicos do Estado de São Paulo.  

Para ele, o novo repositório e o compartilhamento de dados de forma geral aumentam a transparência da maneira como eles são coletados, dando também maior visibilidade a eles. Além disso, potencializam os ganhos das pesquisas. “Você aumenta a visibilidade da pesquisa que está sendo organizada e você pode acelerar pesquisas utilizando essas informações. Um possível colaborador pode olhar aquele conjunto de dados a partir de outra perspectiva. Outros pesquisadores podem analisar aquele conjunto de dados a partir de perguntas que de repente o pesquisador inicial nem tinha pensado”, afirma.

Impulsionando o compartilhamento de dados

O compartilhamento de dados, no estado de São Paulo, começou a ser desenvolvido especialmente a partir de 2017. A Fapesp já havia feito um requerimento para que as universidades estimulassem essa prática e a Unicamp, além de ter criado o seu próprio repositório, participou do comitê que formulou o metabuscador, utilizado agora pelo Covid-19 Data Sharing/BR. Apesar do esforço ser recente, Benilton avalia que ele já começou de maneira bastante madura.

 

.
.

Leia mais a seguir