Mundo

Cavers encontram cobras, mas nenhum gênio no 'Poço do Inferno' do Iêmen
Lá dentro, a Equipe de Exploração da Caverna de Oman (OCET) encontrou cobras, animais mortos e pérolas da caverna - mas nenhum sinal do sobrenatural.
Por Dana Moukhallati - 22/09/2021


O Poço de Barhout do Iêmen, um sumidouro de 112 metros de profundidade no deserto que os moradores chamam de 'Poço do Inferno', havia sido praticamente inexplorado até que uma equipe de espeleólogos de Omã chegou ao fundo na semana passada.

Uma equipe de espeleólogos de Omã fez o que se acredita ser a primeira descida ao fundo do lendário Well of Barhout do Iêmen - uma maravilha natural evitada por muitos habitantes locais, que acreditam ser uma prisão para gênios.

O proibitivo 'Poço do Inferno', cuja abertura redonda e escura cria um buraco de 30 metros (100 pés) de largura no solo do deserto da província oriental do Iêmen de Al-Mahra, mergulha aproximadamente 112 metros (367 pés) abaixo da superfície e, de acordo com alguns relatos, exala odores estranhos.

Lá dentro, a Equipe de Exploração da Caverna de Oman (OCET) encontrou cobras, animais mortos e pérolas da caverna - mas nenhum sinal do sobrenatural.

"Havia cobras, mas elas não incomodam, a menos que você as incomode", disse à AFP Mohammed al-Kindi, professor de geologia da Universidade Alemã de Tecnologia em Omã.

Kindi estava entre os oito espeleólogos experientes que desceram de rapel na semana passada, enquanto dois colegas permaneceram na superfície.

As imagens fornecidas à AFP mostraram formações de cavernas e pérolas de caverna cinza e verde-limão , formadas por gotejamento de água.

"A paixão nos levou a fazer isso e sentimos que isso é algo que vai revelar uma nova maravilha e parte da história do Iêmen", disse Kindi, que também é dono de uma empresa de consultoria em mineração e petróleo.

“Coletamos amostras de água, pedras, solo e alguns animais mortos, mas ainda não os analisamos”, disse ele, acrescentando que um relatório será divulgado em breve.

Apesar da reputação do sumidouro como uma prisão para gênios, os espeleólogos não
encontraram demônios, apenas cobras, animais mortos e pérolas das cavernas.

"Havia pássaros mortos, o que cria alguns odores ruins, mas não havia um cheiro ruim insuportável."

Autoridades iemenitas disseram à AFP em junho que não sabiam o que havia nas profundezas do poço, que estimaram ter "milhões e milhões" de anos, acrescentando que nunca haviam chegado ao fundo.

“Fomos visitar a área e entramos no poço, atingindo mais de 50-60 metros de profundidade”, disse Salah Babhair, diretor-geral da autoridade de pesquisa geológica e recursos minerais de Mahra, na época.

"Percebemos coisas estranhas lá dentro. Também sentimos um cheiro estranho ... É uma situação misteriosa."

Ao longo dos séculos, circularam histórias de figuras malignas conhecidas como gênios ou gênios vivendo no poço, que alguns consideram o portão do inferno.

Muitos residentes da área ficam preocupados em visitar o vasto fosso ou até mesmo em falar sobre ele, por medo de azar.

Os iemenitas já tiveram azar demais .

O país está envolvido em uma guerra civil devastadora desde 2014, que desencadeou o que as Nações Unidas descrevem como a pior crise humanitária do mundo, com dois terços de sua população de 30 milhões dependendo de alguma forma de ajuda.

 

.
.

Leia mais a seguir