Saúde

Casos de coronavírus estão diminuindo em todos os lugares, exceto na Europa
Em seu relatório semanal sobre a pandemia, a agência de saúde da ONU disse que houve cerca de 3,1 milhões de novos casos em todo o mundo, um aumento de cerca de 1% em relação à semana anterior.
Por Phys.org - 09/11/2021


Nesta foto de arquivo de 10 de maio de 2021, uma mulher acende uma vela para homenagear as vítimas da pandemia COVD-19 no Castelo de Praga em Praga, República Tcheca. As infecções por coronavírus na República Tcheca saltaram significativamente para níveis próximos aos números recordes registrados nas ondas anteriores. O Ministério da Saúde afirma que a contagem diária de novos casos chegou a 14.539 na terça-feira, 9 de novembro, cerca de 4.500 a mais de uma semana atrás e o maior número desde 12 de março. Crédito: AP Photo / Petr David Josek, arquivo

A Organização Mundial da Saúde informou na quarta-feira que as mortes por coronavírus aumentaram 10% na Europa na semana passada, tornando-se a única região do mundo onde os casos e mortes de COVID-19 estão aumentando continuamente. Foi a sexta semana consecutiva que o vírus aumentou em todo o continente.
 
Em seu relatório semanal sobre a pandemia, a agência de saúde da ONU disse que houve cerca de 3,1 milhões de novos casos em todo o mundo, um aumento de cerca de 1% em relação à semana anterior. Quase dois terços das infecções por coronavírus - 1,9 milhão - ocorreram na Europa, onde os casos aumentaram 7%.

Os países com maior número de novos casos em todo o mundo foram os Estados Unidos, Rússia, Grã-Bretanha, Turquia e Alemanha. O número de mortes semanais de COVID-19 caiu cerca de 4% em todo o mundo e diminuiu em todas as regiões, exceto na Europa.

Dos 61 países que a OMS inclui em sua região europeia, que inclui a Rússia e se estende até a Ásia Central, 42% relataram um salto de casos de pelo menos 10% na última semana.

Nas Américas, a OMS disse que os novos casos semanais caíram 5% e as mortes, 14%, com os números mais altos relatados nos Estados Unidos.

Na terça-feira, a empresa farmacêutica Pfizer pediu à Food and Drug Administration dos EUA para autorizar doses de reforço de vacinas contra o coronavírus para todos os adultos. A OMS pediu aos países que não administrassem mais reforços até pelo menos o final do ano; cerca de 60 países os estão implementando ativamente.

No sudeste da Ásia e na África, as mortes por COVID-19 diminuíram em cerca de um terço, apesar da falta de vacinas nessas regiões.

O diretor da OMS para a Europa, Dr. Hans Kluge, disse na semana passada que a Europa estava mais uma vez "de volta ao epicentro da pandemia". Ele alertou que, se mais ações não forem tomadas para impedir o COVID-19, a região poderá ver outras 500.000 mortes até fevereiro.

 

.
.

Leia mais a seguir