Campus

Cinco projetos da Unesp são aprovados em chamada internacional
Fapesp financiara¡ mobilidade entre Unesp e universidades da Suanãcia, EUA, Banãlgica e Frana§a
Por Marcos Jorge - 03/03/2020

Imagem: iStock

Programa SPRINT, da Fapesp, visa estimular engajamento de pesquisadores do Estado
de Sa£o Paulo com pesquisadores parceiros no exterior, para desenvolverem os
projetos em andamento e planejarem iniciativas conjuntas de manãdio e longo prazo

Unesp teve cinco projetos contemplados na chamada da Fapesp no a¢mbito do programa SPRINT (Sa£o Paulo Researchers in International Collaboration), que financia mobilidade de pesquisadores entre instituições de pesquisa de Sa£o Paulo e parceiras no exterior. O edital divulgado no final de 2019 ofereceu oportunidades para diversospaíses, e a Unesp foi contemplada em parcerias com universidades da Banãlgica, Frana§a, Suanãcia e Estados Unidos.

O programa da Fapesp visa estimular engajamento de pesquisadores do Estado de Sa£o Paulo com pesquisadores parceiros no exterior, para desenvolverem os projetos em andamento e planejarem iniciativas conjuntas de manãdio e longo prazo. Os projetos contemplados na chamada foram divulgados no dia 21 de fevereiro de 2020.

O professor Tiago Santana Balbuena foi contemplado em uma parceria com o Vlaams Instituut voor Biotechnologie, localizado na Banãlgica. Docente no ca¢mpus de Jaboticabal, Balbuena desenvolve um projeto que investiga a resposta do eucalipto ao aumento na concentração de gás carba´nico em um cena¡rio clima¡tico futuro.

O parceiro na instituição belga, o professor Ive De Smet, éuma referaªncia na área e ira¡ oferecer suporte tea³rico e prático para as análises dos materiais vegetais. A equipe de Jaboticabal, por outro lado, ira¡ disponibilizar as espanãcies vegetais e instrumentação anala­tica. “O Sprint representa o ini­cio de uma colaboração a  longo prazo. Futuramente, pretendemos realizar ensaios em outras espanãcies e em diferentes cenários clima¡ticos”, aponta Balbuena.

No ca¢mpus de Botucatu, a professora Cla¡udia Pio Ferreira ira¡ trabalhar com os franceses do INRIA (Institut National de Recherche en Informatique et en Automatique) na modelagem matemática de diversas questões envolvendo a transmissão da dengue e da mala¡ria como os fatores bia³ticos e abia³ticos que impulsionam a dina¢mica dessas doena§as, os efeitos da sazonalidade na sua propagação das doenças ou o controle biola³gico dessa propagação, por exemplo.

“Nossa equipe éformada por matema¡ticos e fa­sicos da Frana§a, Unesp, USP e UFABC que tem diferentes expertises, uns trabalham com análise de dados, outros com modelagem matemática, outros com controle”, destaca a professora do Instituto de Biociências de Botucatu (IBB).

O parceiro no projeto éo professor Pierre Jacques Bliman, responsável pela coordenação de um projeto de pesquisa na mesma área aprovado pela CAPES e que envolve diversospaíses da Amanãrica do Sul. “A ideia éque esses dois projetos e seus respectivos grupos de pesquisadores se juntem ao longo do processo, o que trara¡ um grande aporte de ideias e colaborações”, celebra a professora Cla¡udia.

No ca¢mpus de Assis, o professor Pedro Henrique Aoki ira¡ contar com a parceria da Lund University, do Suanãcia, para expandir o conhecimento a respeito da Terapia Fotodina¢mica, em especial no tratamento do ca¢ncer. Segundo o docente da Faculdade de Ciências e Letras (FCL), o desenvolvimento de terapias baseadas em luz (fototerapias) tem sido objeto de muitos estudos, com atualmente várias prática s cla­nicas para avaliar a saúde e tratar doena§as, e a terapia fotodina¢mica tem mostrado resultados especialmente promissores.

A professora Christelle Prinz éa parceira no projeto e especialista na microscopia de super-resolução (Stimulated Emission Depletion), técnica  que permite determinar com precisão os locais de acumulação intracelular dos fotossensibilizadores. “Esta éuma importante informação para o entendimento dos mecanismos de ação e dos processos de morte celular desencadeados pela terapia fotodina¢mica”, destaca o professor de Assis, que também tem o apoio de colegas da Faculdade de Ciências e Tecnologia, no ca¢mpus da Unesp em Presidente Prudente.

A Unesp teve ainda outros dois projetos contemplados. Um deles, proposto pela professora Margarida Maria Barros (Faculdade de Medicina Veterina¡ria e Zootecnia), do ca¢mpus de Botucatu, em parceria com o professor Delbert M. Gatlin, da Texas A&M University, dos Estados Unidos, na área de Aquicultura envolve a alimentação de espanãcie de tila¡pia do Nilo. Já o projeto proposto pelo professor Carlos Rossa Junior, da Faculdade de Odontologia de Araraquara, envolve estudos de câncer da cabea§a e pescoa§o em parceria com o pesquisador Arnaud Millet, da UniversitéGrenoble Alpes, na Frana§a.