Campus

Faculdade de Medicina lança e-book sobre plataformas aplicadas ao ensino remoto
Guia reúne informações sobre o Microsoft Teams, adotado pela UFMG, e outras quatro ferramentas
Por Vítor Maia - 05/08/2020


Manual detalha cada plataforma e traz dicas sobre etiqueta digital - CCS / Medicina UFMG

O programa Avas 21 da Faculdade de Medicina, que trabalha com a inserção da tecnologia no ensino na área da saúde, publicou o Guia prático para uso de plataformas virtuais e ensino remoto. O conteúdo, em formato de e-book, é centrado no uso de plataformas digitais em contexto de educação e foi formulado em parceria com o Centro de Comunicação Social (CCS) e com o Centro de Tecnologia em Saúde (Cetes) da Unidade.

A coordenadora do programa e professora do Departamento de Clínica Médica da Faculdade, Rosália Morais Torres, explica que a demanda surgiu dos desafios educacionais impostos pela pandemia, que se somam aos econômicos, sociais e médicos. “Quando a UFMG sinalizou para o Ensino Remoto Emergencial (ERE), a demanda por conhecimento prático sobre as plataformas aumentou muito. As pessoas queriam saber quais ferramentas são mais adequadas para cada tipo de atividade e como usá-las”, argumenta.

Além da explicação dos principais pontos práticos de cada plataforma, o guia traz dicas sobre a chamada etiqueta digital (os comportamentos adequados nas interações por esse ambiente), os principais pontos sobre direitos autorais e de imagem no contexto de sala de aula virtual e um glossário com os termos mais empregados.

O formato de e-book foi escolhido por permitir atualizações e revisões em curto prazo. Em cinco semanas de trabalho, foram destrinchadas as plataformas Google Meet, Zoom, Skype e RNP Conferência Web e o Microsoft Teams – que ganhou destaque na publicação porque será mais usada no modelo de ERE adotado pela UFMG.

Tabela reúne informações sobre algumas funcionalidades das cinco plataformas
Tabela com informações sobre algumas características e funcionalidades das cinco
plataformas - Reprodução / 'Guia prático para uso de plataformas virtuais e ensino remoto'

Ênfase no uso institucional

Além de informações pormenorizadas sobre cada plataforma, há capítulos dedicados à transmissão de sessão e produção de aulas por meio de programas gravadores de telas, de uso livre e gratuito, que favorecem a sincronicidade entre imagem da tela e áudio gravado.

“Tivemos o cuidado de, em cada plataforma, enfatizar o uso institucional e para educação. Ou seja, destacamos em cada capítulo a segurança da plataforma, se ela permite criptografia e realização de lista de chamada, entre outras funções”, salienta Rosália Torres.

O projeto foi desenvolvido por seis professores e oito alunos da Faculdade de Medicina. “O trabalho em equipe foi fundamental e respondeu prontamente ao desafio”, avalia a professora. O projeto de extensão publicará outros e-books, sempre sobre uso de tecnologias de informação na educação. Sugestões de revisão e atualização de conteúdo desse guia podem ser feitas pelo e-mail plataformasvirtuais@medicina.ufmg.br.

A Faculdade de Medicina mantém uma página dedicada ao regime remoto emergencial. 

 

.
.

Leia mais a seguir