Mundo

Empresas de serviços públicos minando a transição global para emissões líquidas zero
O mundo continuam a investir pesadamente na geração de energia com base em combustíveis fósseis, resultando em uma oportunidade perdida de progresso nos compromissos climáticos globais.
Por Oxford - 05/09/2020


Empresas de serviços públicos minando a transição global para emissões líquidas zero

O estudo, publicado na Nature Energy , é o primeiro a investigar concessionárias de eletricidade em escala global. Usando uma técnica de aprendizado de máquina, a pesquisa analisa as atividades de mais de 3.000 empresas nas últimas duas décadas.

“Esta pesquisa destaca uma lacuna preocupante entre o que é necessário para deter o aquecimento global e quais ações estão sendo tomadas pelo setor de serviços públicos”, explica Galina Alova , autora do estudo e pesquisadora da Smith School of Enterprise and the Environment. 'Embora tenha havido alguns exemplos de alto perfil de concessionárias de energia elétrica individuais investindo em energias renováveis, este estudo mostra que, em geral, o setor está fazendo a transição para energia limpa lentamente ou não está fazendo nada.'

O estudo constatou que apenas 10% das empresas priorizaram as energias renováveis ​​- ou seja, expandiram sua capacidade de geração de energia baseada em energias renováveis ​​mais rapidamente do que sua capacidade de gás ou carvão. Muitas dessas organizações também continuaram a investir em combustíveis fósseis em paralelo com as renováveis, embora em um ritmo mais lento.


Muitos países e empresas se comprometeram a atingir emissões líquidas de gases de efeito estufa até 2050, para evitar os piores impactos das mudanças climáticas. Para conseguir isso, os combustíveis fósseis devem ser substituídos por energia renovável em toda a economia. Mas o estudo sugere que as concessionárias permanecem comprometidas com suas atividades convencionais dominadas por combustíveis fósseis. Enquanto os produtores independentes de energia lideram a penetração das energias renováveis, as concessionárias tradicionais ficam para trás.

"O investimento contínuo das 'concessionárias' em combustíveis fósseis as deixa em risco de ficarem perdidos - onde as usinas de energia precisarão ser aposentadas mais cedo - e prejudica os esforços globais para enfrentar a mudança climática '

Sra. Alova.

Ela afirma: 'A transição global para um futuro de baixo carbono pode ser ainda mais prejudicada pela pressão que a pandemia de COVID-19 colocou nas finanças públicas e privadas, bem como nas cadeias de abastecimento, resultando no atraso ou cancelamento de novos projetos de energia renovável. Isso pode ser especialmente prejudicial para os países em desenvolvimento que dependem do financiamento do desenvolvimento verde. '

 

.
.

Leia mais a seguir