Mundo

As maiores geleiras da Groenlândia provavelmente derreterão mais rápido do que o temido, aponta estudo
O derretimento do gelo já contribuiu com mais de oito milímetros para o nível global do mar, escreveram os pesquisadores.
Por Patrick Galey - 17/11/2020


Nas últimas duas décadas, os mantos de gelo do mundo no topo da Groenlândia e da Antártica se tornaram a maior fonte de aumento do nível do mar

As três maiores geleiras da Groenlândia - que retêm água congelada o suficiente para elevar o nível do mar em cerca de 1,3 metros - podem derreter mais rápido do que as previsões de aquecimento do pior caso, mostraram pesquisas publicadas na terça-feira.

Até 2000, o principal fator para o aumento do nível do mar era o derretimento das geleiras e a expansão da água do oceano à medida que se aquecia.

Mas, nas últimas duas décadas, os mantos de gelo do mundo sobre a Groenlândia e a Antártica se tornaram a maior fonte de elevação do nível do mar.

Uma equipe de pesquisadores com base na Dinamarca e na Grã-Bretanha usou imagens históricas e uma série de outros dados para estimar quanto gelo foi perdido nas geleiras Jakobshavn Isbrae, Kangerlussuaq e Helheim da Groenlândia no século XX.

Eles descobriram que Jakobshavn Isbrae perdeu mais de 1,5 trilhão de toneladas de gelo entre 1880-2012, enquanto Kangerlussuaq e Helheim perderam 1,4 trilhão e 31 bilhões de toneladas de 1900-2012, respectivamente.

O derretimento do gelo já contribuiu com mais de oito milímetros para o nível global do mar, escreveram os pesquisadores.

Shfaqat Abbas Khan, pesquisador da Universidade Técnica da Dinamarca, disse que usar fotos tiradas antes da era do satélite foi outra ferramenta para ajudar a recriar a perda de gelo do século passado.

"Medições históricas ao longo dos séculos 19 e 20 podem ocultar informações importantes que podem melhorar significativamente nossas projeções futuras", disse ele à AFP.

O painel consultivo de ciências climáticas da ONU , o IPCC, previu um aumento do nível do mar de todas as fontes entre 30-110 centímetros até 2100, dependendo das emissões.

No caminho de altas emissões do IPCC, conhecido como RCP8.5, nada é feito para reduzir a poluição por carbono ao longo do século 21, levando a um clima mais de 3C mais quente do que os níveis pré-industriais.

Os modelos executados em RCP8.5 para as três geleiras apresentadas no estudo de terça-feira prevêem um aumento do nível do mar de 9,1-14,9 mm até 2100.

Mas o artigo, publicado na Nature Communications , apontou que o aumento da temperatura do caminho de altas emissões foi mais de quatro vezes maior do que durante o século 20, quando as três geleiras já adicionaram 8 mm aos mares.

"O pior cenário é subestimado. A perda de gelo pode ser três ou quatro vezes maior do que o previsto anteriormente para as três geleiras consideradas neste estudo", disse Khan.

Um estudo da Nature publicado em setembro descobriu que, se as emissões de gases do efeito estufa continuarem inabaláveis, as camadas de gelo na Groenlândia irão liberar cerca de 36 trilhões de toneladas neste século , o suficiente para elevar a linha de água global em cerca de 10 centímetros.

 

.
.

Leia mais a seguir