Mundo

Microplásticos flutuantes europeus podem se acumular no Oceano Ártico
Microplásticos flutuantes de rios europeus podem se acumular em partes do Oceano Ártico, nos Mares Nórdicos e na Baía de Baffin, sugere um estudo da Scientific Reports .
Por Nature Publishing Group - 17/03/2022


Domínio público

Microplásticos flutuantes de rios europeus podem se acumular em partes do Oceano Ártico, nos Mares Nórdicos e na Baía de Baffin, sugere um estudo da Scientific Reports .

Pesquisas anteriores relataram a presença de altas concentrações de partículas de microplástico em todo o Oceano Ártico, no entanto, a fonte desses microplásticos e onde eles se acumulam não são claras.

Mats Huserbråten e colegas combinaram modelos de correntes oceânicas entre 2007 e 2017 com simulações de movimentos de microplásticos flutuantes. Eles simularam a liberação de microplásticos de 21 grandes rios do norte da Europa e do Ártico todos os dias durante um período de dez anos e modelaram seus movimentos ao longo de décadas. Os pesquisadores então compararam os resultados de seu modelo com a distribuição de microplásticos flutuantes em 121 amostras de água do mar coletadas em 17 locais na costa oeste da Noruega entre maio de 2017 e agosto de 2018.

Os autores descobriram que, ao serem liberadas dos rios, a maioria das partículas simuladas flutuava ao longo de duas vias principais. 65% derivaram ao longo da costa norueguesa em direção ao Mar de Laptev - localizado ao norte da Rússia - antes de serem transportados para o Oceano Ártico, pelo Polo Norte e depois saindo do Oceano Ártico pelo Estreito de Fram - localizado a leste da Groenlândia. 30% das partículas simuladas flutuaram ao longo da costa norueguesa antes de se moverem para o sul através do Estreito de Fram e depois ao longo das costas leste e sul da Groenlândia antes de viajar mais para o sul ao longo da costa nordeste do Canadá. Após 20 anos de simulações, os pesquisadores conseguiram identificar áreas claras onde os microplásticos flutuantes se acumulavam. Estes foram nos Mares Nórdicos, na Bacia Nansen no Oceano Ártico, o Mar de Barents e o Mar de Laptev - localizado entre o Oceano Ártico e o norte da Rússia - e a Baía de Baffin, localizada entre a Groenlândia e o Canadá. Análises de amostras de água do mar revelaram que a distribuição de microplásticos flutuantes era consistente com a prevista pelo modelo dos autores após dez anos de liberação de microplástico simulada e subsequente circulação pelos mares nórdicos, Oceano Ártico e Estreito de Fram. Isso indica que microplásticos flutuantes podem estar circulando pelo Ártico há pelo menos dez anos.

Os autores sugerem que a circulação de microplásticos flutuantes pode ter consequências para a saúde dos ecossistemas do Ártico. As descobertas destacam a importância de uma melhor gestão de resíduos plásticos, acrescentam.

 

.
.

Leia mais a seguir