Opinião

As expectativas para 2021 são mais otimistas
Bom 2021 para todos, com muita saúde, paz, felicidades e realizações. Cuidem-se. Cada membro da comunidade universitária é importante para a USP, para seus familiares e amigos, e para a sociedade em geral.
Por Vahan Agopyan, - 22/12/2020


Reprodução

2020 foi um ano muito difícil para todos. Foi um ano totalmente anômalo, marcante para a humanidade, e me sinto no dever de compartilhar com a comunidade acadêmica minhas reflexões sobre esse período. Os alunos tiveram que se adequar para acompanhar as aulas teóricas oferecidas remotamente e alguns tiveram que aguardar a Universidade oferecer os modens ou chips para poderem participar dessas atividades. Para muitos estudantes de pós-graduação, a situação foi ainda pior, pois o trabalho que precisava ser realizado ou concluído foi prejudicado em função da restrição de acesso aos laboratórios.

Os professores também tiveram e ainda têm sobrecarga não esperada. Mesmo aqueles que já utilizavam as ferramentas tecnológicas de ensino em suas aulas presenciais tiveram que alterar toda a rotina e se adequar às novas condições. Da mesma forma, os servidores técnicos e administrativos assumiram atividades remotas. Muitos deles, para manter os serviços considerados mais essenciais, não deixaram de comparecer nos campi.

Graças a todo esse esforço da comunidade, a USP não parou e até surpreendeu a sociedade pelas respostas rápidas que ofereceu para o combate da pandemia. Da mesma forma, evitou maior frustração de nossos alunos, que conseguiram cumprir suas atividades discentes, senão integralmente, pelo menos em parte considerável.

Foi um ano muito cansativo, pois trabalhamos e ainda estamos atuando num número excessivo de horas, sem levar em conta os dias de descanso. Pessoalmente estou exausto, como a maioria de nossos docentes, servidores técnicos e administrativos e alunos, mas, ao mesmo tempo, com a sensação de dever cumprido.

Além da pandemia, a USP continuou recebendo ataques à sua autonomia, neste ano com riscos reais, que foram superados, mas com muita dificuldade e com o apoio de toda a comunidade. Infelizmente novos ataques estão em curso.

Por essa razão, recuso considerar 2020 como um ano perdido. Para o sistema universitário internacional, e para a USP em particular, foi um ano de superação, de revisão das nossas atividades e de conquistas de novas fronteiras, algumas nem imaginadas por nós.

Por isso, quero agradecer a cada membro da nossa comunidade, que, com seu esforço e dedicação, conseguiu fazer a diferença e manter o sistema vivo e protegido. Mais uma vez, a comunidade da USP mostrou sua força, resiliência e persistência.

As expectativas para 2021 são mais otimistas. Nutro esperanças porque acredito na ciência. A perspectiva de sucesso de algumas vacinas é factível e já temos países, com administrações mais sérias, iniciando a vacinação em massa de suas populações. Espero que, em poucos meses, a pandemia esteja controlada e a Universidade possa voltar à plenitude das atividades já na metade do ano.

No entanto, não podemos nos descuidar. A pandemia ainda está presente e todos os procedimentos de segurança contra a disseminação do vírus têm de ser mantidos, inclusive o distanciamento social. Não podemos baixar a guarda e perdermos mais vidas. Precisamos de mais um pouco de paciência.

Bom 2021 para todos, com muita saúde, paz, felicidades e realizações. Cuidem-se. Cada membro da comunidade universitária é importante para a USP, para seus familiares e amigos, e para a sociedade em geral.

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es), não refletindo necessariamente a posição institucional do maisconhecer.com


Vahan Agopyan

 

.
.

Leia mais a seguir