Saúde

Os cientistas criaram um dos mapas mais detalhados de câncer de mama já realizados
Ampliar o câncer de mama revela como mutações moldam a paisagem do tumor, revelando como as alterações genéticas moldam o cenário físico do tumor, de acordo com uma pesquisa publicada na Nature Cancer .
Por Oxford/MaisConhecer - 19/02/2020



Uma equipe internacional de cientistas, reunida por um prêmio Grand Challenge de £ 20 milhões da Cancer Research UK, desenvolveu mapas intricados de amostras de tumores de mama, com uma resolução menor que uma única célula.

Esses mapas mostram como a paisagem complexa do câncer, composta de células cancerígenas, células imunológicas e tecido conjuntivo, varia entre e dentro dos tumores, dependendo de sua composição genética.

Essa técnica poderia um dia fornecer aos médicos uma riqueza inigualável de informações sobre o tumor de cada paciente no diagnóstico, permitindo que eles correspondessem a cada paciente com o melhor curso de tratamento para eles.

"Mostramos que os efeitos das mutações no câncer são muito mais abrangentes do que se pensava"

Carlos Caldas

""No futuro, também poderá ser usado para analisar tumores durante o tratamento, permitindo que os médicos vejam em detalhes sem precedentes como os tumores estão respondendo a medicamentos ou radioterapia. Eles poderiam então modificar os tratamentos de acordo, para dar a cada paciente a melhor chance de vencer a doença.

O Dr. Raza Ali, principal autor do estudo e líder do grupo júnior do Cancer Research UK Cambridge Institute, disse: “No momento, os médicos procuram apenas alguns marcadores-chave para entender que tipo de câncer de mama alguém tem. Mas, quando entramos em uma era da medicina personalizada, quanto mais informações temos sobre o tumor de um paciente, mais direcionados e eficazes podemos fazer o tratamento ".  

Os pesquisadores estudaram 483 amostras de tumores diferentes, coletadas como parte do estudo METABRIC, financiado pelo Cancer Research UK, um projeto que já revolucionou nossa compreensão da doença, revelando que existem pelo menos 11 subtipos diferentes de câncer de mama.

A equipe procurou nas amostras a presença de 37 proteínas-chave, indicativas das características e comportamento das células cancerígenas. Usando uma técnica chamada citometria de massa de imagem, eles produziram imagens detalhadas, que revelaram precisamente como cada uma das 37 proteínas estava distribuída pelo tumor.

Os pesquisadores então combinaram essas informações com grandes quantidades de dados genéticos da amostra de cada paciente para melhorar ainda mais a resolução da imagem. É a primeira vez que a citometria de massa de imagens é emparelhada com dados genômicos.

Essas 'plantas' tumorais expõem a distribuição de diferentes tipos de células, suas características individuais e as interações entre elas.

Ao combinar essas imagens de tumores com as informações clínicas de cada paciente, a equipe também descobriu que a técnica poderia ser usada para prever como o câncer de alguém pode progredir e responder a diferentes tratamentos.

O professor Carlos Caldas, co-autor do estudo do Instituto de Pesquisa do Câncer de Cambridge, disse: “Mostramos que os efeitos das mutações no câncer são muito mais abrangentes do que se pensava.

"Eles afetam a maneira como as células cancerígenas interagem com seus vizinhos e outros tipos de células, influenciando toda a estrutura do tumor".

A pesquisa foi financiada pela iniciativa Grand Challenge da Cancer Research UK. Ao fornecer equipes internacionais e multidisciplinares com doações de £ 20 milhões, essa iniciativa visa solucionar os maiores desafios do câncer.

O Dr. David Scott, diretor do Grand Challenge da Cancer Research UK disse: “Essa equipe está fazendo avanços incríveis, ajudando-nos a olhar para um futuro em que os tratamentos contra o câncer de mama são verdadeiramente personalizados.

"Ainda há um longo caminho a percorrer antes que essa tecnologia chegue aos pacientes, mas com mais pesquisas e ensaios clínicos, esperamos desbloquear seu poderoso potencial".

 

.
.

Leia mais a seguir