Saúde

Cambridge lidera teste nacional de drogas para prevenir mortes depois que pacientes com COVID-19 deixam o hospital
Um estudo em todo o Reino Unido está sendo lançado para reduzir o número de pessoas que morrem nos meses após uma estadia no hospital com COVID-19.
Por Craig Brierley - 25/03/2021


Visualização do vírus SARS-CoV-2 - Crédito: Fusion Medical Animation


"Tendo sobrevivido ao trauma de ser hospitalizado com COVID-19, muitos pacientes voltam ao hospital com complicações novas ou de longo prazo"

Charlotte Summers

O ensaio clínico - denominado HEAL-COVID - também visa reduzir o número de pacientes readmitidos ao hospital com complicações em decorrência do COVID.

Dados do Office for National Statistics sugerem que 29% dos pacientes hospitalizados devido ao COVID-19 são readmitidos em seis meses e mais de 12% morrem no mesmo período.

HEAL-COVID significa Ajudando a Aliviar as consequências de longo prazo do COVID-19 e é financiado pelo National Institute for Health Research (NIHR) e pelo NIHR Cambridge Biomedical Research Center. Ele testará uma série de medicamentos seguros existentes em pacientes em todo o Reino Unido, a fim de encontrar tratamentos eficazes.  

A líder do estudo, Dra. Charlotte Summers, da University of Cambridge and Addenbrooke's Hospital, disse: "Tendo sobrevivido ao trauma de ser hospitalizado com COVID-19, muitos pacientes voltam ao hospital com complicações novas ou de longo prazo.

“Infelizmente, muitos morrem nos meses após a alta. Este estudo é o primeiro desse tipo a examinar quais drogas poderíamos usar para reduzir o impacto devastador sobre os pacientes”.

O estudo está sendo conduzido pela Cambridge University Hospitals NHS Foundation Trust e pela University of Cambridge, em colaboração com o Liverpool Clinical Trials Centre da University of Liverpool e a Aparito Limited. 

O HEAL-COVID inscreverá os pacientes quando eles tiverem alta do hospital, após sua primeira admissão para o COVID-19. Eles serão randomizados e receberão um de dois medicamentos - apixaban e atorvastatina - e seu progresso será monitorado. Espera-se que um terceiro medicamento seja introduzido no estudo por recomendação do Painel Consultivo Terapêutico COVID do Reino Unido nas próximas semanas.

O professor Carrol Gamble, Diretor do Liverpool Clinical Trials Centre, disse: “Esta é uma excelente oportunidade para ajudar as pessoas na fase pós-aguda do COVID-19. O estudo foi projetado para nos permitir remover ou adicionar opções de tratamento em resposta aos resultados dos pacientes. Todos os esforços foram feitos para projetar o ensaio para minimizar a carga sobre a equipe do NHS e os pacientes e representa uma verdadeira abordagem de equipe para a ciência. ”

O diretor médico do NHS, Professor Stephen Powis, disse: “O NHS liderou a pesquisa que identifica a dexametasona como o primeiro tratamento no mundo para COVID-19 e este último ensaio pode ajudar a descobrir novos tratamentos para as sequelas do COVID, ajudando a obter rapidamente terapias líderes mundiais para nossos pacientes.

“Long COVID pode ter um impacto significativo na qualidade de vida de alguém, e é exatamente por isso que, além de financiar pesquisas sobre a doença, o NHS investiu milhões na abertura de dezenas de clínicas dedicadas para ajudar as pessoas a voltarem a ter uma boa saúde."

Lord Bethell, Ministro da Inovação, disse: “O Reino Unido é líder mundial no desenvolvimento de tratamentos que salvam vidas em resposta à pandemia e este ensaio clínico é mais uma prova disso. É vital que continuemos nossa busca pelos melhores tratamentos para COVID-19, principalmente para prevenir que as pessoas desenvolvam complicações de longo prazo após adoecerem.

“Plataformas de testes clínicos como HEAL estão mostrando como designs inovadores podem significar que podemos alcançar apenas os candidatos certos, de forma rápida e enfática. Sou imensamente grato aos incríveis cientistas e clínicos da Universidade de Cambridge que estão impulsionando este trabalho que salva vidas, que desempenhará um papel crítico em colocar esta pandemia para trás. ”

Adaptado de um comunicado à imprensa da Cambridge University Hospitals NHS Foundation Trust

 

.
.

Leia mais a seguir