Saúde

Uvas aumentam a diversidade do bioma intestinal e reduzem o colesterol
Os pesquisadores também descobriram uma redução nos níveis gerais de colesterol de 6,1% e uma queda de 5,9% no LDL. E também descobriram que alguns ácidos esteroides na bile caíram 40,9%
Por Bob Yirka - 07/01/2022


Pixabay

Uma equipe de pesquisadores da Escola de Medicina David Geffen da Universidade da Califórnia encontrou evidências de que comer uvas pode aumentar a diversidade do bioma intestinal e também reduzir os níveis de colesterol no sangue. Em seu artigo publicado na revista Nutrients , o grupo descreve experimentos em que alimentaram voluntários com pó de uva por quatro semanas.

Pesquisas anteriores mostraram que comer certas frutas, como maçãs e uvas, pode promover vasos sanguíneos saudáveis porque contêm polifenóis, que são antioxidantes. Comer essas frutas também reduz o açúcar no sangue e os níveis de pressão arterial. E, em alguns casos, o consumo de polifenóis reduz a inflamação, um fator que contribui para as doenças cardíacas. Neste novo esforço, os pesquisadores analisaram outros possíveis benefícios para a saúde de comer uvas.

Para saber mais sobre os possíveis benefícios positivos para a saúde, o grupo contou com a ajuda de 19 adultos saudáveis . Cada um fez uma dieta especial com baixo teor de polifenóis e fibras por quatro semanas. Em seguida, cada sujeito comeu a mesma dieta, mas com a adição de pó de uva . Os voluntários ingeriram 46 gramas do pó por dia, o que equivale a duas porções de uva. Os pesquisadores coletaram amostras de fezes, sangue e urina dos voluntários durante os dois estágios do experimento.

Eles descobriram que depois de quatro semanas comendo o pó de uva, todos os voluntários viram aumentos na diversidade do bioma intestinal. Pesquisas anteriores mostraram que o aumento da diversidade do bioma intestinal tende a estar associado a um forte sistema imunológico. Notavelmente, os níveis da bactéria Akkermansia, que é conhecido por ter um impacto positivo nos níveis de glicose e no metabolismo dos lipídios, aumentaram. Os pesquisadores também descobriram uma redução nos níveis gerais de colesterol de 6,1% e uma queda de 5,9% no LDL. E também descobriram que alguns ácidos esteroides na bile caíram 40,9% - pesquisas anteriores mostraram que eles desempenham um papel no metabolismo do colesterol.

 

.
.

Leia mais a seguir