Talento

UNESP concede título Doutora Honoris Causa a Adélia Borges
Crítica de design é a primeira mulher a receber o título pela Universidade
Por Mariana Fiorini e Olívia Ambrozini - 04/03/2021


Adélia Borges - Imagem: Jose Gabriel Doimo - ACI

A Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC) concedeu o título Doutora Honoris Causa  à curadora e crítica de design Adélia Borges. Esta é a primeira vez que a FAAC submete o pedido ao Conselho Universitário da Universidade para atribuição do título. Adélia é referência no design contemporâneo e tem contribuído nos últimos 30 anos para dar visibilidade e reconhecimento ao design brasileiro, tanto no âmbito nacional como no cenário internacional. 

A concessão do título foi recebida com muita alegria e orgulho por ela: “Fico extremamente feliz com esse reconhecimento, que considero extensivo a toda a área do Design. Essa atividade impacta profundamente a vida e o cotidiano de todos, mas ainda é pouco conhecida e debatida pela sociedade em geral em nosso país. Um motivo a mais de alegria é o fato de estar numa lista com personalidades que admiro demais que haviam recebido a distinção em anos anteriores, escolhidos em processos de concessão muito criteriosos por parte da Unesp, passando por sucessivos filtros”, comenta a crítica. 

O título Doutora Honoris Causa é a mais alta honraria concedida por uma Universidade. Ao longo dos 45 anos de história da Unesp, somente 16 pessoas foram agraciadas com o título, entre elas o geógrafo Milton dos Santos, o engenheiro Ozires Silva, o indigenista Orlando Villas Bôas, o crítico literário Antonio Candido e, recentemente, o escritor e membro da Academia Brasileira de Letras, Ignácio de Loyola Brandão. Adélia é a primeira mulher a receber o título pela Unesp.                                                                                                                                                                              
Adélia é formada em Jornalismo pela Universidade de São Paulo (USP) e, ao longo de sua carreira, foi reconhecida como crítica na área do Design, participou de conferências em mais de 20 países e realizou a curadoria de dezenas de exposições no Brasil e no exterior. Foi autora ou co-autora de mais de 30 livros sobre design, entre eles “Design + Artesanato: O caminho brasileiro”, da Editora Terceiro Nome. Segundo especialistas na área, Adélia construiu uma sólida ponte entre design e artesanato brasileiro, tendo sido responsável pela descoberta de vários artesãos.

A iniciativa de prestigiar Adélia com o título foi da Profa. Dra. Mônica Cristina de Moura do Departamento de Design da FAAC. Segundo Mônica, apesar da iniciativa partir dela, a decisão foi apoiada por unanimidade entre os membros do departamento de Design devido a importância da autora na construção da formação de centenas de alunos. As obras de Adélia Borges servem de referência para muitas teses e dissertações.“As publicações em artigos e livros de Adélia são utilizados nos cursos de graduação e de pós-graduação em vários cursos do Brasil. Ou seja, apesar de ela não estar na academia, ela tem ações que contribuem com a formação dos novos profissionais e, também, com a de pesquisadores em design”, ressalta a professora Mônica.

A diretora da FAAC, Profª. Dra. Fernanda Henriques, afirma que a nomeação como Honoris Causa é motivo de orgulho para a FAAC. “Adélia é uma mulher que congrega com excelência nossas áreas de conhecimento, como ciências sociais aplicadas, comunicação social e artes. Jornalista, contribuiu para o reconhecimento do Design Brasileiro, a partir da valorização da cultura e saberes locais, aproximando a área com o artesanato”, destaca. 

A cerimônia solene de entrega do título está marcada para o dia 8 de março de 2021, Dia Internacional da Mulher, às 14h30min, e será totalmente virtual devido às medidas de segurança para conter o avanço da COVID-19. A TV Unesp fará a transmissão ao vivo de toda a cerimônia através de seu canal no YouTube. 

Personalidades contempladas com o título Doutor Honoris Causa pela Unesp:

Adolfo Perez Esquivel, argentino, ativista de direitos humanos e Prêmio Nobel da Paz (1995)

Paulo Affonso Leme Machado, advogado ambiental (1996)

Milton Almeida dos Santos, geógrafo (1997)

Roberto Rodrigues, engenheiro agrônomo (1998)

Otto Richard Gottlieb, químico (2000)

Celso Furtado, economista (2001)

Antonio Candido, crítico literário (2005)

Odelar Leite Linhares, matemático (2005)

Orlando Villas Bôas, indigenista, (2005)

David Jonathan Gross, norte-americano, prêmio Nobel de Física, (2006)

Ozires Silva, engenheiro aeronáutico, (2009)

Idibal de Almeida Pivetta, dramaturgo (2010)

Edward Witten, norte-americano, matemático (2011)

Riccardo d’Agostino, italiano, químico (2012)

Plínio de Arruda Sampaio, advogado e ativista político (2015)

Ignácio de Loyola Brandão, escritor (2021)

Adélia Borges é a primeira mulher a receber a honraria.

 

.
.

Leia mais a seguir